Tempo perdido

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Por muito tempo eu não experimentei a sensação de ser eu mesma. E eu sei, mais do que ninguém, que a culpa é minha.

Há muito tempo, tive de procurar loucamente meus pedaços ao chão, tatear dentro de mim mesma, na mais profunda parte de meu ser para reencontrar minha personalidade.

Depois,
Comecei a amar... Um dos amores mais intensos e puros, porque talvez... Encontrada em mim mesma, o único sentimento que eu poderia deixar entrar, o mais lindo de todos, era o amor.
Lembro-me de minha doçura e meus sorrisos... Só não lembro de quando comecei a me perder... Talvez, quando você da muito espaço para alguém em sua vida, ela passa a achar que pode com a sua vida.

Fui perdendo pedacinhos... Mínimos... Um a um... Sendo retirados. Não percebi , até que de pedaço em pedaço foram sendo retirados pedaços cruciais de minha personalidade.

O que eu pensava? Tudo por um sentimento? Era como carregar areia em uma peneira. Tentar colar as pétalas de uma rosa com cola.


Novamente eu estava fora de mim, sem a sensação de me reconhecer... Meus pedaços fora de mim... Da segunda vez ao vento, muito mais longe e impossíveis de se tocar.

Sem sorrisos, sem cores... Dizem que seu mundo realmente perde a cor quando você não está bem.

Mas afinal o que eu havia perdido? Não foi perder o amor que havia me deixado mal, e sim a perca de uma pessoa. Eu mesma.
Sei disso porque no primeiro momento sozinha, no primeiro beijo dado pela nova vida em minha face, pude perceber que o amor já havia morrido há muito tempo, e tudo que eu tentava reanimar já havia ido embora.

Hoje, sei o que sinto. Com toda a força e fragilidade que surge e que resta em meu corpo.
Viver sem amor pode ser difícil, mas prefiro ter a mim ao invés de um sentimento que só faz sofrer.

Eu quero minha doçura, minha intensidade, quero meus sentimentos saltitando em carne viva, quero minhas mãos e minhas letras. Amo essa chance.

E a todos que não entenderem – nada.

Sem explicações ou receio: A única pessoa para a qual eu devo algo sou eu mesma.

Meus pedaços se reunindo, tentando se reconhecer, se encaixar... E a cada Olá que minha personalidade diz ao se reencontrar com mais um pedacinho perdido, um sorriso se abre... O meu sorriso

0 reviews:

Postar um comentário


'Eu vivo à espera de inspiração com uma avidez que não dá descanso. Cheguei mesmo à conclusão de que escrever é a coisa que mais desejo no mundo, mesmo, mais que amor.'

Followers

Pages


'A maldição de pensar fez suas vítimas: em minha geração, vi muitos poetas se transformarem em críticos, teóricos, professores de literatura' Leminski



Minha foto
Rubia M.
"Eu - eu não sei muito bem, Senhora, no presente momento - pelo menos eu sei quem eu era quando levantei esta manhã, mas acho que tenho mudado muitas vezes desde então. Receio que não possa me explicar, porque é justamente aí que está o problema. Posso explicar uma porção de coisas... Mas não posso explicar a mim mesma."
Visualizar meu perfil completo

Search box

Footer

About Me


'Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada...Porque no fundo a gente não está querendo alterar coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro...'

Tecnologia do Blogger.

About Me

Minha foto
"Eu - eu não sei muito bem, Senhora, no presente momento - pelo menos eu sei quem eu era quando levantei esta manhã, mas acho que tenho mudado muitas vezes desde então. Receio que não possa me explicar, porque é justamente aí que está o problema. Posso explicar uma porção de coisas... Mas não posso explicar a mim mesma."